terça-feira, 24 de maio de 2016

Lula ameaça delatar todo mundo se for preso


O estado de nervos de Lula é dos piores. Em recente conversa de bastidores, tentando convencer o PMDB a se manter na base de Dilma, ameaçou contar tudo o que sabe e detonar todo mundo se vier a ser preso.

A ameaça deve ter deixado não só PMDB, mas meia Brasília em pânico. Afinal, não deve ter negócio nebuloso, malcheiroso ou ilícito na política brasileira nos últimos 14 anos que o Chefão não tenha conhecimento ou, quem sabe, maior envolvimento.

Se cumprir o que disse, Lula vai explodir uma bomba nuclear sobre o mundo político brasileiro. Ruim para os corruptos, bom para o Brasil. Só podemos torcer para que a ameaça se cumpra com todos os seus horrores.

A ameaça de Lula (que parece estar ligada a estranha divulgação de doações da Odebrecht, que mistura doações legais e ilegais colocando todos políticos na mesma canoa, é suspeita de ser manobra do PT), é relatada pelo jornalista Ricardo Noblat, de O Globo, um dos mais bem informados do Brasil. Confira a nota, intitulada “Ameaça no ar”:

“A dois líderes do PMDB, com os quais conversou nas últimas 48 horas, Lula, o bom de gogó, disse, em meio a uma conversa até ali amena:

– Se eu cair, não cairei sozinho.

Para ser exato: ele não usou o verbo “cair”. Usou outro, mais de acordo com sua habitual maneira de se expressar.”

segunda-feira, 23 de maio de 2016

STF envia inquérito contra Lula para Sérgio Moro

23/05/2016

STF envia inquerito contra Lula para Sergio MoroAo enviar o inquérito que investiga o ex-presidente Lula para a Justiça Federal do Paraná, o ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava-Jato no Supremo, sinalizou claramente sua posição contrária à concessão de foro especial para o ex-presidente da República. Reportagem de Carolina Brígido, O Globo, edição de sábado, focaliza nitidamente o assunto. Teori Zavascki considerou fortes as evidências contra Luiz Inácio da Silva, encontradas na trama denunciada por Delcídio do Amaral para evitar as revelações contidas na delação premiada de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobrás.

Se enviou o processo para a esfera do juiz Sérgio Moro, é porque concluiu que Lula deverá ser julgado pela Justiça comum. No mesmo despacho, Teori incluiu o banqueiro André Esteves, acentuando que é um dos principais financiadores do Instituto Lula. Aliás, a inclusão de André Esteves foi objeto da denúncia formalizada pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot, ao acrescentar que o caso inclui lavagem de dinheiro. Mas esta é outra questão.

PALESTRAS VIRTUAIS

O inquérito envolve também os pagamentos feitos a Lula por palestras realizadas, palestras estas pagas por André Esteves, tendo como destino o Instituto Lula. A denúncia de Janot, aceita por Zavascki, inclui ainda o pecuarista José Carlos Bumlai e o filho dele Maurício Bumlai.

A realidade mais forte no caso refere-se à perda do foro especial para concluir as investigações e possivelmente julgar Lula. Houve o decreto da presidente afastada Dilma Rousseff, nomeando-o ministro para que obtivesse julgamento no Supremo, mas tal decreto já perdeu o efeito, uma vez que foi sucedido por outro, exonerando-o no final de seu governo na véspera da aprovação do pedido de impeachment pelo Senado Federal.

SEM RECURSO

Fica difícil Lula poder recorrer ao plenário do STF, pois a decisão de Teori parece refletir uma tendência, não apenas no relator da Lava-Jato, mas do próprio Supremo Tribunal. O panorama judicial focalizando a atuação de Lula não parece ser nada favorável a ele.


De outro lado, Eduardo Cunha anunciou nos jornais, também de sábado, que decidiu recuar da ideia de retomar sua presença na Câmara Federal, uma vez que se encontra com o mandato suspenso por tempo indeterminado, por decisão unânime da Corte Suprema. Essa atitude vai abalar a influência política que surpreendentemente continua exercendo no governo Michel Temer. Decidiu se esquivar de uma nova decisão do STF, desta vez por desacato a uma decisão da Corte. 


UNANIMIDADE


Eu disse surpreendente atuação porque além de Cunha ter sido afastado em definitivo da presidência da Câmara e ter seu mandato suspenso, Eduardo Cunha ainda por cima é réu no mesmo Tribunal por corrupção, denúncia de Rodrigo Janot aceita por unanimidade. A influência de Cunha, ao que parece, só será dissolvida com a sua provável condenação.


Nota conjunta dos Clubes Militares “DEMOCRATAS E NACIONALISTAS”


Na terça-feira passada o Diretório Nacional do PT divulgou sua Resolução Sobre a Conjuntura, que visa a orientar seus filiados no estudo dos problemas atuais do país e guiá-los para a luta que pretendem travar contra os “golpistas” que estão prestes a derrubar Dilma e afastar o PT do poder depois de 13 anos.

O documento apresenta uma série de chavões esquerdistas, como dizer que o Estado está agora sob a direção de velhas oligarquias, que as mesmas aplicaram um golpe de estado, que estamos adotando o modelo econômico preconizado pelo grande capital, que o impeachment é um golpe casuístico para depor um governo democraticamente eleito, e por aí vai. Analisa, também, as possíveis falhas que levaram ao fim do projeto socialista de eternização no poder.


Entre tais erros, aponta: 


“Fomos igualmente descuidados com a necessidade de reformar o Estado, o que implicaria impedir a sabotagem conservadora nas estruturas de mando da Polícia Federal e do Ministério Público Federal; modificar os currículos das academias militares; promover oficiais com compromisso democrático e nacionalista; fortalecer a ala mais avançada do Itamaraty e redimensionar sensivelmente a distribuição de verbas publicitárias para os monopólios da informação.”


O parágrafo é particularmente revelador sobre a mentalidade distorcida que domina a esquerda e a insistência em suas teses de dominar instituições que, no cumprimento da lei, impedem a realização de seus sonhos totalitários, que eles denominam democratas, na novilíngua comunopetista.

Assim, enxergam uma sabotagem conservadora na ação democrática que os impediu de dominar a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, seu objetivo permanente.

Voltam, ainda, a insistir na reformulação dos currículos das escolas militares, reduto de resistência à releitura da História que pretendem, o que fica claro na Base Nacional Comum Curricular proposta pelo MEC, e também nos textos revisionistas constantes dos livros didáticos, particularmente os de História, com que vêm difundindo suas ideias distorcidas e fazendo verdadeira lavagem cerebral em nossos jovens estudantes, há longo tempo. Diga-se, também, que isso ocorre sob o olhar complacente e até mesmo sob o aplauso de mestres e pais politicamente corretos.

Insistem, por outro lado, no domínio da imprensa por meio do controle das enormes verbas publicitárias que controlam.

Quanto à promoção de oficiais com compromisso democrático e nacionalista, isto é o que vem sendo feito desde sempre, pois as Forças Armadas são o maior depósito e fonte de brasileiros democratas e nacionalistas de que a Nação dispõe.

Neste caso, democratas e nacionalistas no sentido registrado nos dicionários da língua portuguesa, ao contrário do já assimilado no senso comum modificado de que nos fala Gramsci, o que já é empregado como o sentido “verdadeiro” dos termos pelos petistas.

Para Gramsci, democracia é o sistema de governo que se funda na hegemonia das Classes Subalternas (o povo) e na absorção da Sociedade Política (o Estado) pela Sociedade Civil (“Estado Ampliado”). Neste conceito, democracia é “governo do povo”, no qual não se inclui a burguesia – “não-povo”. Não somos democratas neste sentido deturpado da palavra.

Quanto ao nacionalismo, este sentimento patriótico é explorado pelos movimentos revolucionários de esquerda como Ideologia Intermediária que induz nos integrantes da sociedade nacional atitudes e opiniões (senso comum modificado e ativismo) anti-imperialistas e, por extensão, anticapitalistas e antiliberais.

Para nós, o nacionalismo é um sentimento patriótico de vinculação do indivíduo à nação, que se manifesta em atitudes e ações políticas, econômicas e sociais espontâneas e construtivas, dando prioridade ao que nos é próprio e aos interesses nacionais. Não é, necessariamente, contra ninguém ou contra qualquer idéia que não nos agrida.

Por aí vemos, mais uma vez, o cuidado que devemos ter ao ler qualquer documento de partidos esquerdistas, pois a linguagem que empregam é, maliciosamente, deturpada para que concordemos com ela.

V.Alte Paulo Frederico Soriano Dobbin – Presidente do Clube Naval

Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel – Presidente do Clube Militar

Maj Brig Marcus Vinícius Pinto Costa – Presidente do Clube de Aeronáutica.


Militares exigem Justiça

“Eu não sei se cabe a esses militares gostarem ou não gostarem. Ela, Dilma, é a chefa (sic) suprema das Forças Armadas. Indicou o ministro e acabou. Não se discute. Estou cagando e andando para esses caras. Os militares, no meu governo, tiveram que me aguentar e viviam me enchendo o saco, pedindo migalhas de reajuste. Pediam uma coisa, eu enrolava e nunca dava o que eles pediam. Depois dava uma esmola qualquer e não me sacaneavam mais. Não tenho medo deles. Nunca tive. Ele, Celso Amorim vai dar um jeito naquele troço (Ministério da Defesa)…” 

– Do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em agosto de 2011, diante da reação negativa dos militares à escolha de Celso Amorim para comandar o Ministério da Defesa.

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Não será a qualidade da gestão do governo provisório de Michel Temer - sujeito que odeia deselegância, incompetência e traição - que lançará as bases para o Brasil mudar. Tal missão será viável se for bem sucedida a pressão da opinião pública para que não terminem em pizza os processos judiciais das operações Lava Jato, Acrônimo e Zelotes. Esta esperança vem sendo manifestada, com a costumeira discrição, no meio militar - que o regime nazicomunopetralha falhou no plano de cooptar para um projeto autoritário bolivariano.

Já deu para perceber de onde virão pressões legítimas cobrando que o judiciário cumpra seu dever de combater a impunidade no Brasil. Lideranças conscientes, fora e dentro dos quartéis, sabem muito bem que a operação de limpeza não pode se limitar à mera "demonização do PT". A depuração tem de atingir, sem rigores seletivos, todos aqueles que foram parceiros de negócios dos petistas no gigantesco assalto que leva o Brasil à bancarrota. É preciso que se faça justiça, e não apenas promova algum tipo de "jagunçagem" judicial.

Evidente que o chefão petista Luiz Inácio Lula da Silva é um dos alvos preferenciais. Lula terá de explicar a impressionante evolução patrimonial de sua família, nos anos em que o PT ocupou, aparelhou e saqueou o poder federal. $talinácio terá de imensas dificuldades de justificar ao Ministério Público como poderia ter o equivalente a R$ 53 milhões acumulados em contas na Suíça - conforme o relatório 18.340 do COAF enviado à CPI do BNDES - que vazou na imprensa. A varredura nas contas e aplicações financeiras de 103 pessoas e 188 empresas revelou uma movimentação atípica de quase meio bilhão de reais.

Uma pizza nas investigações será um prato inaceitável. O Brasil vai mudar se o judiciário cumprir seu papel. Este é o recado que a cúpula militar tem dado ativa e reservadamente. O aviso é: golpes contra o judiciário ou contra a democracia não serão tolerados. As legiões exigem o mesmo que os brasileiros: Justiça!

A Lava Jato começa nesta segunda-feira sua 29a operação, a "Repescagem", cujo alvo é o PP...

Releia o artigo de domingo: 

Temer, corte juros, impostos e a gastança


PSIQUIATRA ANALISA LULA E APRESENTA DIAGNÓSTICO: “PERSONALIDADE PSICOPÁTICA E TRANSTORNO INCURÁVEL”

Publicado em 20/05/2016
http://www.materiasnarede.com/…/psiquiatra-analisa-lula-e-…/#
Ednei Freitas, psiquiatra, foi quem fez uma espécie de diagnóstico da personalidade do ex-presidente, Lula. E você pode até duvidar, mas os exames afirmaram que ele é portador de um tipo de transtorno praticamente incurável. O parecer do doutor (via Tribuna da Internet). Embora não seja uma prática usual um psiquiatra apresentar uma prática diagnóstica de um sujeito que não examinou pessoalmente nem a ele pediu exame, vou apresentar aqui o que penso ser a personalidade de Lula por se tratar de figura pública e que tem afetado os brasileiros por suas vigarices.

A antiga denominação do que tem o ex-presidente era Personalidade Psicopática. A classificação diagnóstica mudou. Hoje, na ONU, a CID-10 é chamado de Transtorno da Personalidade Anti-Social. A Associação Psiquiátrica Americana qualifica a DSM-IV-TR de Transtorno da Personalidade Dissocial.

O quadro clínico para esse tipo de psicopata é assim descrito: “Os pacientes podem mostrar-se altivos e dignos de credibilidade ao entrevistador. Entretanto, sob a aparência (máscara de sanidade) existe tensão, hostilidade, irritabilidade e cólera.

Entrevistasprovocadoras de estresse, nas quais os pacientes são vigorosamente confrontados com inconsistências em suas histórias, podem ser necessárias para a revelação da patologia. Até mesmo os profissionais mais experientes já foram enganados por tais pacientes”.

Uma investigação diagnóstica completa deve incluir um exame neurológico minucioso, uma vezque esses pacientes costumam exibir eletroencefalogramas anormais e leves sinais neurológicos sugestivos de um dano cerebral mínimo na infância. Fonte: Diário do Brasil

domingo, 22 de maio de 2016

OPERAÇÃO LULA!


Posted on 21 de maio de 2016 by CristalVox

JANUS’, MAS PODE CHAMAR DE ‘OPERAÇÃO LULA’… FOCO DA INVESTIGAÇÃO É TRÁFICO INTERNACIONAL DE INFLUÊNCIA DE LULA…

O Cristalvox sabe do seu tamanho. Reconhece no Diário do Poder e no Antagonista a referência da correção e principalmente do compromisso com o Brasil. Cláudio Humberto resume, com coragem, a verdade…

O noticiário sobre a Operação Janus, nesta sexta (20), da Polícia Federal, fez parecer que, apesar do envolvimento do sobrinho, o ex-presidente Lula não era investigado. Porém, é mais que isso: trata-se do principal investigado. Nota do Ministério Público Federal do DF deixou claro que o objetivo da “Janus” é apurar se Lula “praticou tráfico internacional de influência em favor da construtora Odebrecht”.

A primeira fase da Janus, nesta sexta, teve a ver apenas com o financiamento do BNDES para uma obra da Odebrecht em Angola.

Lula e quem o ajudou a batalhar negócios para a Odebrecht no exterior podem esperar novas fases da Janus. Experimentarão fortes emoções.

Também são investigados os contratos do BNDES relativos a obras em Cuba, Venezuela, República Dominicana e Angola, entre muitos outros.

Três desassombrados procuradores pilotam a Operação Janus: Francisco Guilherme Bastos, Ivan Cláudio Marx e Luciana Loureiro.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

PT admite que queria implantar ideologia de esquerda dentro das Forças Armadas.

O PT desejava: “modificar os currículos das academias militares;
promover oficiais com compromisso
democrático e nacionalista…”
PT admite que queria implantar ideologia de esquerda dentro das Forças Armadas. General Villas Bôas se IRRITA com intenções da cúpula do Partido dos Trabalhadores.

O PT desejava: “modificar os currículos das academias militares; promover oficiais com compromisso democrático e nacionalista…”

O comandante do Exército comentou com indignação o documento aprovado pela cúpula do PT que faz uma autocrítica a atuação do partido nos últimos anos. O documento revela a intenção da esquerda de “aparelhar” também as Forças Armadas.

No trecho que atraiu a atenção do Comandante do Exército, o partido de Lula e Dilma mostra que pretendiam trazer para as instituições estatais sua doutrina esquerdista reformista que quase destruiu o Brasil.

“Fomos igualmente descuidados com a necessidade de reformar o Estado, o que implicaria impedir a sabotagem conservadora nas estruturas de mando da Polícia Federal e do Ministério Público Federal; modificar os currículos das academias militares; promover oficiais com compromisso democrático e nacionalista; fortalecer a ala mais avançada do Itamaraty e redimensionar sensivelmente a distribuição de 5 verbas publicitárias para os monopólios da informação…”.

Nas últimas eleições a oposição dos militares à candidatura DILMA foi evidente. Setores da reserva se manifestaram seguidamente contra a esquerda nacional e sua sanha por reescrever o passado do Brasil a sua maneira.

Durante o governo em nenhum momento os militares endossaram o discurso da esquerda em favor de Lula e Dilma. Chegaram a ocorrer conflitos, que foram resolvidos sem que os militares cedessem à imposição do governo, como no caso do General Mourão, que mesmo após gritaria de Dilma e lideranças de esquerda, não foi transferido para a reserva.
O Comandante do Exército, general Villas Boâs disse que “Com esse tipo de coisa, estão plantando um forte antipetismo no Exército”. O general, que em palestra na UNICEUB ha apenas duas semanas disse que quando poderia estar se desenvolvendo o Brasil perdeu tempo se digladiando entre esquerda e direita, comentou hoje que esse tipo de intenção nos remete novamente para as décadas de 60 e 70 e tem um tom “bolivariano”.
O documento acende luzes amarelas em todos os níveis hierárquicos das Forças Armadas, onde pilares como hierarquia, disciplina e meritocracia mantém os militares coesos apesar do caos financeiro a que são submetidos. Uma possibilidade de implantar sistemas de promoção por ideologia – (promover oficiais com compromisso democrático e nacionalista) – dentro das FA soa como uma heresia aos ouvidos de qualquer militar racional.

No texto o PT diz que lutará para retornar ao governo.

Como deve reagir a cúpula militar diante da revelação das intenções da esquerda? Se Dilma retornar, lutará para “aparelhar”, dessa vez de forma eficaz, as Forças Armadas e demais instituições, como Ministério Público, Polícia Federal e Itamarati? Sociedade Militar