segunda-feira, 6 de julho de 2015

A Face do Mal e a Face dos Senadores que o mantém impune

Adicionar legenda
Frei Clemente Rojão OAAO.

entrevista da mãe da jovem assassinada com requintes de crueldade por "um menor" de 17 anos e 363 dias merece ser divulgada lado a lado com o nome e foto dos senadores que votaram contra a redução da maioridade penal há menos de um mês. E ai, Randolfe Rodrigues (PSOL), já foi visitar os pais da pobre menina, você que para votar contra disse que o Brasil tem a legislação de adolescentes mais avançada do mundo?

Leia e só não se emocionem se tiverem um coração de bronze.

"Eu assisti o vídeo três vezes. E nas três vezes eu não consegui chegar ao fim. Choro e me desespero. Não consigo ver o corpo da minha filha destruído. Ele bateu muito nela. Agrediu com força. Yorrally estava com um aplique no cabelo muito lindo, que eu tinha dado de presente para ela. Estava linda, com o cabelo comprido, bem brilhante, toda feliz e vaidosa. Minha filha era assim, cheia de vida, animada. Mas ele era muito ciumento, não gostava de vê-la bonita. Ele arrancou o aplique da cabeça dela com toda força. Bateu no rostinho dela. Pude ver todas as marcas no enterro. O corpo todo ferido. No vídeo, ela pede desesperada para não ser morta. Pude ouvir a vozinha dela suplicando: "Pelo amor de Deus, não me mate. Pelo amor de Deus, não me mate. Não me machuque, por favor". Meu coração está destruído. Não tenho nenhuma vida. Meus dias se arrastam e são pesados desde que ela foi assassinada. Ele é um monstro. Só de lembrar dela suplicando, eu morro um pouco."

Divulguem. Os ilustres senadores precisam ter sua obra ligada às suas conseqüências! De fato não foram estes senadores que puxaram o gatilho que matou Yorrally. Mas foram estes senadores que ataram as mãos da Justiça que não só pune seu assassino, mas INIBIRIA FUTUROS ASSASSINOS. Quem se lembra de Liana Friedenbach, também morta por um menor, o tal "Champinha", com requintes de extremo sadismo???

Mas as filhas destes senadores estão protegidas por seguranças. As filhas dos pobres, como a pobre Yorrally e a SUA FILHA, leitor, estão a mercê.

Há 21 anos, entrava em circulação a moeda que viria derrotar a inflação

Maria Lúcia Amary
Há 21 anos, em uma manhã de sexta-feira, entrava em circulação o real, a moeda que viria derrotar a inflação, um tormento que durante anos destruiu os horizontes do país e tornou a vida dos brasileiros um verdadeiro martírio.

Bons tempos aqueles em que o presidente do país se preocupava com o bem-estar da população brasileira e tomava medidas inteligentes para resolver os problemas e não para aumentar impostos, tarifas e juros.

Rendo minha homenagem ao presidente Fernando Henrique Cardoso por ter levado à frente esse projeto de sucesso que foi o Plano Real, o equilíbrio das contas públicas e a transformação do Brasil em um país de futuro.

domingo, 5 de julho de 2015

As provas de Ricardo Pessoa aumentam o desespero de Dilma Rousseff.


Dilma Rousseff é uma morta-viva no governo.

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral rejeitaram por unanimidade nesta semana o recurso do PT para impedir o depoimento de Ricardo Pessoa no âmbito da ação movida pelo PSDB, que pede a cassação do mandato de Dilma por abuso de poder político e econômico durante a campanha eleitoral de 2014.

O dono da UTC vai depor no dia 14 de julho; e a derrota deixou o PT em alerta, como informou a Folha nesta sexta-feira.

Dos sete ministros do TSE, três tendem hoje a votar contra o governo (Gilmar Mendes, Dias Toffoli e João Otávio de Noronha) e três a favor (Luciana Lóssio, Henrique Neves e Maria Thereza Assis Moura).

O placar pró-Dilma no tribunal estaria por um voto: o do ministro Luiz Fux, que, no mensalão, surpreendeu e condenou todos os réus.

Agora, a VEJA revela as provas que Ricardo Pessoa deu à Justiça.

Diz um trecho da reportagem:

“Um dos alvos é a campanha de Dilma de 2014 e seu tesoureiro, Edinho Silva, o atual ministro da Comunicação Social.

Segundo o delator, ele doou 7,5 milhões de reais à campanha depois de ser convencido por Edinho Silva.

‘O senhor tem obras no governo e na Petrobras, então o senhor tem que contribuir. O senhor quer continuar tendo?’, disse o tesoureiro em uma reunião.

O empreiteiro contou que não interpretou como ameaça, mas como uma ‘persuasão bastante elegante’.

Na dúvida, ‘para evitar entraves’ nos seus negócios com a Petrobras, decidiu colaborar para que o “sistema vigente” continuasse funcionando – um achaque educado.

Mas há outro complicador para Edinho: quem apareceu em nome dele para fechar os detalhes da ‘doação’, segundo Pessoa, foi Manoel de Araujo Sobrinho, o atual chefe de gabinete do ministro.

Em plena atividade eleitoral, Manoel se apresentava aos empresários como funcionário da Presidência da República.

Era outro recado elegante para que o alvo da ‘persuasão’ soubesse com quem realmente estava falando.”

Este é o documento em que Ricardo Pessoa registrou a ‘doação legal’ à campanha de Dilma e os nomes do tesoureiro Edinho Silva e seu braço-direito Manoel de Araujo:

O Jornal Nacional também mostrou detalhes da delação premiada de Ricardo Pessoa.

Muito procurado, o empreiteiro doava dinheiro às campanhas de políticos ou pagava por serviços, mesmo quando eles não tinham influência direta na Petrobras.

A intenção era “fazer com que a engrenagem andasse perfeitamente, tirando, portanto, todas as pedras que pudessem aparecer no caminho; abertura de portas no Congresso, na Câmara e em todos os órgãos públicos”.

Uma tabela mostra, com nomes e valores, 14 partidos que receberam dinheiro de Pessoa – e não separa o que é caixa dois de doação oficial.

Para piorar a situação de Dilma, o doleiro Alberto Youssef revelou ao TSE que o PT quis trazer R$ 20 milhões para a sua eleição, como mostrei aqui.

No próximo post, vou falar do depoimento sigiloso de um personagem pouco conhecido que pode levar ainda mais complicações à morta-viva do governo.

O tempo das mandiocadas está se esgotando.

Tic-tac, tic-tac, tic-tac…


Dilma Rousseff compra mansão de R$ 5 milhões em Porto Alegre. Veja o palacete!

Mansão estilo colonial português que Dilma Rousseff comprou em Porto Alegre. O palacete vale R$ 5 milhões

O jornalista Claudio Humberto divulgou em sua coluna a notí­cia, a foto e o valor de uma mansão que a presidente Dilma Rousseff comprou na cidade Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. A notícia chamou a atenção pelo valor da propriedade. Veja a notícia da coluna de Claudio Humberto!

Se o futuro a Deus pertence, Dilma já garantiu o seu na cidade do coração em caso de aposentadoria: uma bela casa em estilo colonial português avaliada em R$ 5 milhões, no bairro Tristeza, um dos mais nobres da capital gaúcha.

Será vizinha do ex-marido Carlos Araújo, pai de sua filha, com quem mantém amizade inabalável e confidente. Mineira, Dilma fez carreira política em Porto Alegre e adora a cidade.

Esta mansão, em estilo colonial português no bairro Tristeza, em Porto Alegre (RS), poderá ser o refúgio da presidenta nos próximos anos, como adiantou a coluna no domingo (23). Ao lado da casa do ex-marido e companheiro de guerrilha, Carlos Araújo, com quem tem uma filha, a casa está avaliada em cerca de R$ 5 milhões, segundo corretores locais.

Virou atração da vizinhança não pelo estilo imponente, apesar de simples, num dos bairros nobres da capital gaúcha, mas pela possível companhia da primeira mulher na presidência do Brasil. No centro de terreno, tem pelo menos quatro suítes, lareira e piscina nos fundos do amplo jardim. A declaração de bens de Dilma ao Tribunal Superior Eleitoral em 2009 inclui três apartamentos na capital gaúcha.


sábado, 4 de julho de 2015

GLOBO RECEBEU R$ 6,2 BILHÕES DE PUBLICIDADE FEDERAL COM PT NO PLANALTO — FORA AS AFILIADAS

Do uol:

A Rede Globo e as 5 emissoras de propriedade do Grupo Globo (em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Brasília e Recife) receberam um total de R$ 6,2 bilhões em publicidade estatal federal durante os 12 anos dos governos Lula (2003 a 2010) e Dilma (2011 a 2014).

Como a cifra só considera TVs de propriedade do Grupo Globo, o montante ficaria maior se fossem agregados os valores pagos a emissoras afiliadas. Por exemplo, a RBS (afiliada da Globo no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina) recebeu R$ 63,7 milhões de publicidade estatal federal de 2003 a 2014.

Outro exemplo: a Rede Bahia, afiliada da TV Globo em Salvador, que pertence aos herdeiros de Antonio Carlos Magalhães (1927-2007), teve um faturamento de R$ 50,9 milhões de publicidade federal durante os 12 anos do PT no comando do Palácio do Planalto. 


Riscos de cassação de diploma eleitoral e impeachment de Dilma abrem espaço para golpe parlamentarista

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

O sinal mais acachapante de que Dilma Rousseff tem tudo para ser saída da Presidência da República foi a unanimidade imposta pelo Tribunal Superior Eleitoral para que o empreiteiro Ricardo Pessoa preste depoimento na Ação de Investigação Judicial Eleitoral nº 1943-58.2014.6.00.0000-DF, que apura o suposto pagamento de propina desviada da Petrobras através de doações legais a políticos durante a eleição de 2014. A Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral quer ouvi-lo no próximo dia 14, em São Paulo, onde o bombástico delator premiado da Lava Jato, acusado de coordenar o cartel de empreiteiras, cumpre "prisão domiciliar".

Depois que o PT não conseguiu impedir no TSE que Pessoa prestasse depoimento, no governo, no Judiciário e no Congresso já se fala, abertamente, que Dilma corre sério risco de ter o diploma eleitoral cassado, em um polêmico caso que os sete membros do TSE devem julgar até outubro. A situação dela é classificada como delicadíssima no tribunal. Três ministros tendem a votar contra o governo (Gilmar Mendes, João Otávio de Noronha e até o presidente José Dias Toffoli, que foi advogado do PT em outros tempos). Um quarto voto, do ministro Luiz Fux, também pode ferrar Dilma. A Presidente só teria votos favoráveis de Luciana Lóssio, Henrique Neves e Maria Thereza Assis Moura.

A maior confusão pode ser criada se Dilma for condenada. Ela e o vice Michel Temer teriam de ser afastados dos cargos. A grande dúvida é se o TSE vai convocar novas eleições. Ou se vai empossar, na Presidência da República, o segundo colocado na campanha de 2014. Uma vitória de Aécio Neves no "tapetão do judiciário" já causa calafrios até no ninho tucano. Outro problema pode ser causado se Dilma, antes de ser detonada pelo TSE, acabar tomando no TCU, por causa das pedaladas fiscais. Neste caso, se for configurado crime de responsabilidade, a agonia dela pode se prolongar mais. O destino dela dependerá de uma denúncia formal da Procuradoria Geral da República que será "julgada" pelo Congresso Nacional, na forma de processo de impeachment.

Neste clima de alto risco de cassação de diploma eleitoral ou de impedimento é que a classe política tupiniquim já arma um grande golpe. Grandes articuladores dos bastidores do poder, como o jurista Nelson Jobim, já vendem a ideia da implantação do "Parlamentarismo". Trata-se de uma jogada para mudar o rótulo para manter o Brasil sob a mesma desgovernança do crime organizado. No meio desta polêmica pode crescer a onda pela intervenção constitucional - que já tem grande apoio popular nas redes sociais.

Em resumo, o Brasil vai ferver. Até porque Luiz Inácio Lula da Silva, que hoje tem o maior interesse na queda da "amiga" Dilma, já avisou que não vai se matar, não vai sair do País e nem vai aceitar ser derrubado, sem antes partir para a rua, certamente contando com aquele "exército do Stédile" que já convocou recentemente. Em princípio, Lula não teria interesse pelo parlamentarismo. Mas, se não acabar preso pela Lava Jato, junto com o companheiro José Dirceu (que deve voltar antes para a cadeia), qualquer negócio pode ser bom para ele.

Fonte: http://www.alertatotal.net/

Fantasiado de Operário


Bacana ver, fantasiado de peão, um milionário que mora num triplex no Guarujá ou em uma mansão no luxuoso condomínio Swiss Park de São Bernardo do Campo, falando aos metalúrgicos de Guararema - segundo mostra a foto de Ricardo Stuckert, do Instituto Lula.

Batom na cueca

Lula está ferrado com a Lava Jato porque documentos entregues pelo empreiteiro Ricardo Pessoa, dono das construtoras UTC e Constran, ligam as doações eleitorais milionárias para o PT aos contratos das empreiteiras com a Petrobras.

Ricardo Pessoa relatou ter se encontrado sete vezes com o ex-presidente Lula.
Afirmou que fez repasses de R$ 2,4 milhões para a campanha do ex-presidente em espécie.
Como Pessoa ressalvou não ter certeza se Lula sabia da origem ilícita do dinheiro, pode ser que as "poderosas relações" e "o manancial de informações" do ex-Presidente consigam salvar a pele do $talinácio.

Recibo para a Papuda

Pessoa revelou ter repassado R$ 3 milhões a José Dirceu de Oliveira e Silva, a título das famosas "consultorias".

Parte dos recursos foi entregues enquanto ele já estava preso pelo mensalão:

“Apenas e tão somente em razão de se tratar de José Dirceu e da sua grande influência no Partido dos Trabalhadores, é que, mesmo sabendo da impossibilidade de ele trabalhar no contrato firmado, porque estava preso, o aditamento foi feito e as parcelas continuaram a ser pagas”.

Na mira

Pessoa garantiu que, a pedido do ex-ministro, fez uma doação eleitoral de R$ 100 mil para o filho do ex-ministro, o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), em 2010.

O problema é que a prestação de contas de Zeca ao TSE não registra a doação.

Tudo é negado pela assessoria de José Dirceu - que teve negado um, pedido de habeas corpus para não ser preso pela Lava Jato...

Beneficiados

Os recursos do Pessoa teriam abastecidos as campanhas da presidente Dilma Rousseff em 2014; do ex-presidente Lula em 2006; do atual ministro da Casa Civil Aloísio Mercadante ao governo de São Paulo em 2010; e mais cinco senadores e três deputados federais.


10.5599994659424px; text-align: start; text-rendering: optimizeLegibility;">
Entre os beneficiários da propina estariam o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad; o ex-tesoureiro das campanhas do ex-presidente Lula e da presidente Dilma, José de Filippi, atual secretário de Saúde da Prefeitura de São Paulo; o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto; o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu; o senador Aloysio Nunes, do PSDB, e o ex-senador Gim Argello, do PTB; o deputado do PSB Júlio Delgado; e o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, que foi tesoureiro da última campanha

Uma das tabelas lista doações a diferentes políticos e partidos. Não há na tabela sobre se as doações são oficiais ou não. Aparecem na planilha DEM, PMDB, PP, PPS, PR, PSC, PSDB, PC do B, PT, PTB, PV, PRTV, PSB e PDT.

Vaccari para o brejo

Os papéis do Pessoa mostram registros de duas “contas correntes” da UTC, uma para o ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto e outra para o próprio PT.

O PT teria recebido, ao todo, R$ 20,1 milhões: R$ 16,6 milhões entre 2006 e 2014 para o partido, e mais R$ 3,9 milhões para Vaccari.

O documento sobre a campanha de Dilma é uma planilha em que constam dados bancários da conta do comitê financeiro, cujo nome de contato é o de Manoel Araújo, chefe de gabinete do ministro Edinho Silva (Comunicação), tesoureiro da campanha. 


Tem razão

Nadine Gasman, Representante da ONU Mulheres Brasil, tem inteira razão no protesto que promove em solidariedade à Presidenta Dilma:

"É ultrajante e extremamente agressiva a apologia de violência sexual contra a presidenta da República, Dilma Rousseff, retratada em adesivos para automóveis, como expressão de misoginia e interpelação dos direitos humanos de mulheres e meninas. Tal episódio se configura como violência política sem precedentes. Nenhuma discordância política ou protesto pode abrir margem e/ou justificar a banalização da violência contra as mulheres – prática patriarcal e sexista que lhes invalida a dignidade humana. Como defensora dos direitos de mulheres e meninas no mundo, a ONU Mulheres faz o alerta público sobre o teor violento e discriminatório das imagens, conclamando a sociedade brasileira e o poder público para a tolerância zero ao machismo. Por fim, solidarizamo-nos com a presidenta Dilma Rousseff, as brasileiras e as organizações de mulheres e feministas, as quais têm denunciado as ofensas e acionado a justiça".

Nota da Redação do Alerta Total: O direito inalienável de sacanear os políticos não pode nem deve servir de incitamento a qualquer violência.

E tem mais...

Além disso, o Ministério das Minas e Energia adverte que abastecer o carro ou a moto enfiando a mangueira naquela foto de péssimo gosto da Dilma pode fazer muito mal à saúde de seu veículo.

Se o negócio começar a desandar igual ao desgoverno dela, o sacaneador de plantão nem terá direito à reclamar aos órgãos sexuais de defesa do consumidor.

Racismo idiota

Em São Paulo, o promotor criminal Cristiano Jorge dos Santos instaurou inquérito para apurar os crimes de racismo e injúria qualificada praticados nas redes sociais contra a moça do tempo do Jornal Nacional, Maria Júlia Coutinho, a Maju.

A aberração aconteceu exatamente ontem, no dia nacional do combate à discriminação racial, e rendeu um comentário da Maju no JN:

"Muita gente imaginou que eu estaria chorando pelos cantos. Mas já lido com a questão do preconceito desde sempre. Não esmoreço, cresci numa família consciente, meus pais sempre me orientaram. Acho bom que as medidas judiciais sejam tomadas para evitar ataques a mim e a outros. Fiquei feliz com a manifestação de carinho. Foram milhares de mensagens, e-mails, telefonemas. A minha militância eu faço com o meu trabalho. Os preconceituosos ladram, mas a caravana passa".

Muito fofo foi ouvir o William Bonner chamar a vítima de "Majuzinha"...

Silêncio programado

A Petrobras informa que divulgará os resultados do segundo trimestre de 2015 no dia 06 de agosto de 2015, após o fechamento do mercado.

Dessa forma, entre os dias 23/07/2015 e 06/08/2015 a companhia estará em período de silêncio (quiet period), durante o qual a Petrobras estará impossibilitada de comentar ou prestar esclarecimentos relacionados aos resultados do trimestre e perspectivas.

Em nota relevante divulgada ontem, a empresa adverte que esta iniciativa visa a atender às melhores práticas de governança corporativa, garantindo a equidade no tratamento das informações.

Fechando para abrir?

O Governo de Goiás decidiu formular oferta pública para a aquisição da totalidade das ações de emissão da Companhia Celg de Participações (CELGPAR) em circulação no mercado.

O objetivo é cancelar seu registro de companhia aberta (“OPA”), e, consequentemente, promover a saída da Companhia do segmento tradicional de negociação de valores mobiliários da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&FBovespa).

O Banco Votorantim foi contratado como instituição intermediadora da OPA.

Vale para os rentistas

A Vale S.A. informa que a Diretoria Executiva aprovou e submeterá à deliberação do Conselho de Administração proposta para pagamento de remuneração mínima aos acionistas para 2015 no valor de US$ 2 bilhões.

O valor será correspondente a US$ 0,388095186 por ação ordinária ou preferencial em circulação, a ser distribuído aos acionistas em duas parcelas iguais nos dias 30 de abril e 30 de outubro de 2015:

"A remuneração proposta ao acionista permite à Vale manter uma estrutura de capital adequada e é compatível com o cenário atual, no qual devemos investir para completar nossos principais projetos de crescimento, como o S11D, enquanto enfrentamos preços de commodities mais baixos e voláteis".

Na verdade, o que a Vale não pode proclamar claramente: o anúncio é uma tentativa de não perder o Grau de Investimento dado pelas Agências de Risco Transnacionais...

O relógio marca...

André Vercelli, que foi vice-presidente comercial na Makro/Grupo SHV nos anos de 2013 e 2014, é o novo diretor comercial da Technos S.A.

Substituirá o lendário Renato José Goettems que trabalha há 50 anos na Companhia, tendo ocupado os cargos de vendedor, gerente comercial e diretor comercial, cargo que ocupou durante 23 anos.

Renato Goettems foi indicado pela Administração da Companhia ao cargo de membro suplente do Conselho de Administração, se aprovada a sua eleição na assembleia geral extraordinária que ocorrerá no próximo dia 7 de julho.

Viagem Apostólica do Papa a três países da América Latina

Cidade do Vaticano (RV) – A Sala de Imprensa da Santa Sé publicou, nesta sexta-feira, o programa oficial da Viagem Apostólica que o Papa Francisco fará à América Latina, onde visitará o Equador, Bolívia e Paraguai, de 5 a 13 de julho próximo.

O Papa partirá, domingo, dia 5, do aeroporto romano de Fiumicino, às 9h00 locais, com destino a Quito, onde chegará às 15h locais. Ali se dará a cerimônia de boas vindas.

Na segunda-feira, dia 6, o Papa partirá, às 9h para Guayaquil, onde, às 11h15, celebrará a Santa Missa diante do Santuário da Divina Misericórdia. Às 14h almoçará, no Colégio Javier, com a Comunidade dos Jesuítas e com a comitiva papal.

Na parte da tarde, às 17h10, voltará de avião para Quito, onde, às 19h fará uma Visita de cortesia ao Presidente da República, no Palácio presidencial “Carondelet”. A seguir, às 20h10, concluirá o dia com uma visita à Catedral de Quito.

Terça-feira, dia 7, o Santo Padre iniciará seu dia encontrando, às 9h, os Bispos do Equador, no Centro de Congressos do Parque do Bicentenário, onde, a seguir, às 10h30, presidirá a uma celebração Eucarística.

À tarde, às 16h30, encontrará o mundo Escolar e Universitário, na Pontifícia Universidade Católica do Equador. Depois, às 18h, encontrará a Sociedade Civil, na igreja de São Francisco, e, por fim, fará uma visita particular à “Igreja da Companhia”.

Quarta-feira, dia 8, às 9h30, visitará a Casa de Repouso das Missionárias da Caridade; às 10h30, encontrará o Clero, os Religiosos, Religiosas e Seminaristas, no Santuário Nacional mariano “El Quinche”.

Às 12h, partirá de avião de Quito para La Paz, na Bolívia, onde chegará às 16h15, hora local; às 18h, fará uma Visita de Cortesia ao Presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, no Palácio do Governo.

Às 19h, encontrará as Autoridades Civis, na Catedral de La Paz. Às 20h partirá de avião para Santa Cruz de la Sierra, onde chegará às 21h15. Quinta-feira, dia 9, às 10h, o Papa presidirá a uma celebração Eucarística, na Praça de Cristo Redentor. À tarde, às 16h00, encontrará os Sacerdotes, Religiosos, Religiosas e Seminaristas, na escola Dom Bosco. A seguir, às 17h30, participará do II Encontro Mundial dos Movimentos Populares, no centro da “Expo Feria”.

Sexta-feira, dia 10, às 9h30, o Santo Padre visitará o Centro de Reeducação Santa Cruz de Parmasola; às 11h, encontrará os Bispos da Bolívia, na igreja paroquial de Santa Cruz; às 12h45, cerimônia de despedida no aeroporto internacional de Viru Viru.

Às 13h, o Papa partirá de avião para Assunção, no Paraguai, onde chegará após duas horas de viagem. No aeroporto internacional “Silvio Pettirossi”, da capital paraguaia, se dará a cerimônia de boas vindas.

Na parte da tarde, às 18h, o Pontífice fará uma Visita de Cortesia ao Presidente da República, no Palácio de Lopez; a seguir, encontrará as Autoridades e o Corpo Diplomático, no jardim do Palácio de Lopez.

Sábado, dia 11, às 8h30, o Santo Padre visitará o Hospital Geral Pediátrico “Niños de Acosta Ñu”. Mais tarde, às 10h30, celebrará uma Santa Missa no Largo do Santuário Mariano de Caacupé.

Na parte da tarde, às 16h30, encontrará os Representantes da Sociedade Civil, no estádio León Condou da escola São José; às 18h15, presidirá à oração das Vésperas com os Bispos, Sacerdotes, Diáconos, Religiosos, Religiosas, Seminaristas e Movimentos católicos, na Catedral Metropolitana da Assunção.

Domingo, 12 de julho, último dia da sua Viagem Apostólica à América Latina, o Papa visitará, às 8h15, a População do Bañado Norte, na Capela de São João Batista. Às 10h, celebrará a Eucaristia no campo grande de Ñu Guazú, seguida da oração mariana do Angelus. Às 13h, encontrará os Bispos do Paraguai, no Centro Cultural da Nunciatura Apostólica e, a seguir, almoçará com os Bispos e com a Comitiva papal. Às 17h, concluirá suas atividades com um encontro com os Jovens paraguaios, nas margens do rio “Costanera”. Por fim, às 19h, o Santo Padre concluirá sua Viagem Apostólica à América Latina, deixando o Paraguai de avião, que o levará de volta a Roma, onde sua chegada está prevista para as 13h45, hora local. (MT)